sábado, 9 de julho de 2016

Os Quatro Ventos


O profeta Ezequiel no capitulo 37 foi levado pelo Senhor a um vale cheio de ossos secos. E nesse lugar, o primeiro comando profético que o Senhor dá ao profeta foi de que ele profetizasse e ordenasse o alinhamento dos ossos de acordo com a palavra liberada (veja v. 5-8).
Para que haja a manifestação dos céus aqui na terra é necessário que o a Palavra que tem o poder criativo, que é o Davar, seja liberado através de uma voz profética. Quando a voz profética se levanta, um grande barulho no mundo espiritual começa a acontecer. Esse ruído é um anúncio profético de que uma estrutura espiritual (um exército) está sendo levantada no meio de um ambiente de morte e sequidão espiritual.
Uma vez que o alinhamento foi liberado pela voz profética, os ossos começaram a ter uma cobertura e proteção de carne, tendões e pele. Houve uma integração nessa estrutura formada. Entretanto, não havia fôlego de vida (espírito) nessa estrutura. E, o segundo comando profético foi liberado ao profeta Ezequiel (veja v.9-10).
Para que houvesse a plenitude de vida era necessário que os Quatro Ventos assoprassem sobre essa estrutura. Os Quatro Ventos é uma tipologia do processo que o Espírito traz a nossas vidas, para que venhamos a ter uma plenitude de vida. Isso nos mostra que há diferentes etapas/ciclos/estações de ministração em nossa vida que estarão confirmando o processo de Deus.
Perceba que esses ventos foram ativados no momento em que o Senhor quis que essa estrutura se levantasse (se colocasse de pé), ou seja, se tornasse madura. Somente após o processo de ministração dos Quatro Ventos que iremos ser posicionados, erguidos, levantados, estaremos firmes e inabaláveis. Ficar em pé também denota autoridade sobre as circunstâncias.
O Senhor está estruturando, alinhando, colocando em ordem, dando forma a um exército de homens e mulheres escolhidos por Ele. Por isso há uma palavra profética liberada sobre esse exército de que esses quatro movimentos espirituais estão sendo liberados sobre essa grande e numerosa estrutura que está sendo formada!
Vamos ver cada um desses Quatro Ventos para que compreendamos o processo que existe uma vez que decidimos entrar em um Alinhamento Apostólico:


VENTO LESTE
No hebraico é denominado como vento Qadiym. Chamado também de vento oriental ou vento do oriente. É o vento que se levanta do deserto. Tem como característica trazer o castigo, secar, tirar, despojar, desarraigar, queimar, destruir, estancar, remover as aparências de tudo àquilo que não faz parte do desígnio de Deus para a nossa vida. É um vento selvagem.
Em Oséias 13:15, vemos que o Vento do Leste vai arrancar todos os recursos que não estão de acordo com os propósitos de Deus em nossa vida, que não são para o avanço do Seu Reino. Riquezas e projetos corruptos que não tem como objetivo glorificar a Deus, mas nos desviar dos Seus caminhos serão queimados pelo Vento do Leste.
O Vento do Leste vai destruir todos os meios, os veículos, os métodos que nos desviam do caminho que o Pai determinou (Salmos 48:7). Amizades, relacionamentos, associações, sociedades que nos desviam do propósito serão aniquilados. O destino profético de Jonas era a cidade de Nínive, mas ele começou a ir em direção a Társis, e por isso o Vento do Leste assoprou fortemente sobre a embarcação na qual ele se encontrava, até que ele decidiu voltar ao destino original. O Vento do Leste assopra tão forte que nos empurra e direciona ao nosso destino.
Esse vento também assoprou sobre a casa onde os filhos de Jó estavam reunidos, destruindo totalmente (Jó 1:19). É um vento que será liberado sobre toda a “casa” (linhagem/geração) que não está alinhada a Justiça de Deus.
Os gafanhotos são liberados pelo Vento do Leste (Êxodo 10:13). Eles destroem tudo que impede o processo de Deus em nós. Os gafanhotos não são enviados pelas trevas, mas pelo próprio Deus a fim de que sejamos alinhados ao Seu propósito. Por isso, não adianta repreender o Vento do Leste porque é um vento liberado por Deus para endireitar, ajustar e alinhar a nossa vida (Joel 2:25).
Mas, o Vento do Leste não dura para sempre! Uma vez que Deus corrige as nossas distorções, arranca tudo aquilo que nos afasta do nosso destino profético (Romanos 8:28) e nos direciona novamente a Sua boa, agradável e perfeita vontade, o próprio Pai mudará a direção do vento, e liberará sobre nós a Restituição!
VENTO DO OESTE
No hebraico é denominado como Yam. Também pode ser chamado como vento ocidental ou vento do ocidente. Esse vento se caracteriza por levar os gafanhotos liberados no Vento do Leste (Êxodo 10:19). O Vento do Oeste vem para mudar a situação anterior. É o vento fortíssimo que leva todas as pragas quando nos alinhamos ao propósito do Senhor! É o vento que nos leva a experimentar a restituição.
Na tradução original, este vento se traduz como a palavra que significa “o espírito que traz a água”. Totalmente contrário ao Vento do Leste, que queima e seca, esse vento anuncia a chuva fresca!
Esse foi o vento que o profeta Elias viu quando profetizou a chuva (I Reis 18:43-45). O profeta foi levado a gerar esse vento. É o vento que assopra do Mediterrâneo, que vem do mar, que move a nuvem de chuva.
O vento do Oeste traz as bênçãos após o tratamento dado por Deus no Vento do Leste. Marca uma etapa diferente, pois anuncia grandes mudanças de Deus a favor do Seu povo.
É também o vento que traz o inverno. No natural, esse é um vento muito esperado pelos agricultores, porque prepara para a colheita. No espiritual também é um vento muito esperado para aqueles que “semearam” no Reino e esperam colher abundantemente. Como traz a chuva, o Vento do Oeste esconde o Sol, e faz o céu ficar nublado.



VENTO DO NORTE
No hebraico se define como Aquilon ou Tsaphown. É o vento para falar do desconhecido. É o vento que faz com que os céus se abram. Ele retira as nuvens, ou seja, o que estava escondendo o sol. É o vento que abre a nossa visão, que nos faz ver novamente as coisas celestiais, onde Sol da Justiça começa a se manifestar.
Esse é o vento da Revelação, que faz com que não fiquemos presos na ignorância religiosa (Cantares 4:16). Não podemos chegar a ser a Noiva do Senhor se não passarmos pela operação dos Quatro Ventos. A amada já tinha a fragrância do Noivo. Ela já era madura. Ela já tinha passado pela ministração do Vento do Leste e do Oeste.
A amada se encontrava no jardim, uma dimensão de proteção.  Ela pedia o Vento do Norte para que limpasse todo espírito que pudesse escurecer o ambiente do seu jardim. O Vento do Norte assopra e limpa, despeja toda nuvem das trevas, retira todo véu da religiosidade. Ele tira todas as folhas secas da religiosidade e faz com que tenhamos uma nova fragrância pela revelação (Ezequiel 1:4). A revelação extraordinária do Pai é para aqueles que se encontram do lado de dentro do Jardim, aqueles que estão debaixo do Alinhamento Apostólico.
O Vento do Norte também é um vento frio, ou seja, traz purificação constante e permanente sobre as nossas vidas (Jó 37:9)
VENTO DO SUL
O Vento do Sul no hebraico é chamado de Austro ou Teyman. Se caracteriza por um clima temperado, calor agradável, uma temperatura favorável. A Palavra diz que quando Jó foi tocado, suas vestes estavam mornas, uma característica de que ele já tinha passado pelas ministrações dos ventos anteriores. Seu inverno estava terminando (Jó 37:17)
O Vento do Sul extrai a fragrância das flores. É o vento que traz a Primavera. É o vento que te leva a terra firme para poder cumprir o propósito, tal como aconteceu com o Ap. Paulo (Atos 27:13; Atos 28:13)
A união do Vento Norte com o Vento do Sul produz um redemoinho. Na verdade, o que a Amada estava pedindo era que um portal dimensional se abrisse para que ela pudesse acessar o sobrenatural através dessa conexão dos dois ventos.


Shalom!
Dr. Fernando Guillen
FONTE: http://apostolofernando.com.br/artigos/os-quatro-ventos/

JESUS CRISTO É O SENHOR...!